Nota de Repúdio a empresa Carrefour pelo desrespeito com o falecimento de trabalhador no interior da loja com vilipêndio ao cadáver

Imprimir    A-    A    A+

A Confederação Nacional dos Trabalhadores no Comércio (CNTC), entidade representativa de cerca de 12 milhões de trabalhadores no comércio e de serviços, cumprindo seu papel institucional de defesa da categoria repudia a atitude da empresa Carrefour, que segundo noticiado pelo portal de notícias G1 Pernambuco, “um representante de vendas morreu enquanto trabalhava em um supermercado da rede Carrefour no Recife, e teve o corpo coberto com guarda-sóis e cercado por caixas de papelão, engradados de cerveja e tapumes improvisados entre as gôndolas”.

 

É com pesar e grande tristeza que recebemos a notícia do falecimento em serviço de Manoel Moisés Cavalcante, e expressamos nossa solidariedade aos amigos e familiares.

 

Contudo, apontamos a forma indigna que o Carrefour agiu quando do falecimento de Manoel Moisés, uma tragédia que foi tratada com banalização da morte em total desrespeito aos colegas e amigos de trabalho, bem como a seus familiares, quando na saga desenfreada pelo lucro, manteve a atividade comercial ativa e tentou esconder o corpo sem vida com objetos inapropriados em total constrangimento aos clientes, trabalhadores e para os familiares de Moisés.

 

A empresa menosprezou a tragédia de um trabalhador e sua família, colocando o cadáver em posição depreciativa e em exposição pública.

 

Repudiamos as ações da empresa Carrefour que tem a obrigação constitucional de obter o lucro com sua atividade fim, como também a responsabilidade social de bem-estar de seus trabalhadores e da coletividade, eis que “o que tem um preço pode ser substituído por alguma coisa equivalente; o que é superior a todo preço e, portanto, não permite nenhuma equivalência, tem uma dignidade” (Kant).

 

Foi uma violência, um desrespeito!

 

Luiz Carlos Motta

Presidente



Notícias