Imprimir    A-    A    A+

No sábado (02/02) o senador Davi Alcolumbre (DEM-AP) foi eleito com 42 votos para o cargo de presidente do Senado Federal para o biênio de 2019-2020.

Com sessão iniciada na sexta-feira (01/02) o senador Alcolumbre disputou com os senadores Esperidião Amim (PP-SC), que obteve 13 votos, Angelo Coronel (PSD-BA) com 8 votos, Reguffe (sem partido/DF) com 6 votos e o senador Fernando Collor (Pros-AL) com 3 votos.

O grande “rival” senador Renan Calheiros (MDB-AL) retirou sua candidatura durante a segunda votação em cédulas, uma vez que a primeira votação foi cancelada, em virtude de haver cédulas a mais na urna e sem envelope.

Quem é Davi Alcolumbre:

Tem 42 anos é do Macapá e atua como empresário. Iniciou na vida política no PDT como vereador, atuou como secretário de Obras e como deputado federal. Migrou para o DEM em 2006. Eleito senador em 2014 presidiu a Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo (CDR) e em 2018 tentou a eleição para o governo do Amapá, não obtendo êxito.

Funções como presidente:

Irá presidir também o Congresso Nacional e é o terceiro na linha sucessória do presidente da República. Dentre as prorrogativas do presidente do Senado estão dar posse ao presidente da República; convocar extraordinariamente o Congresso em caso de decretação de estado de defesa ou de intervenção federal; domínio das matérias a serem colocadas na pauta, dentre outras ações.

O novo presidente defende o fim do “segredismo”, que é o voto secreto e que haja a democratização dentro do processo legislativo, ou seja, garantir que todos os senadores sejam tratados de forma igualitária. E acerca das reformas políticas e econômicas, o senador Alcolumbre as classificou como assuntos de urgência para o futuro do país.

 

Relações Institucionais da CNTC.

É permitida a reprodução deste conteúdo, desde que citada a fonte.

 



Notícias