Imprimir    A-    A    A+

A Câmara dos Deputados elegerá seu presidente, vices, secretários e suplentes em sessão marcada para o dia 1º de fevereiro (domingo), às 18h. Concorrem ao cargo de presidente os deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ), Arlindo Chinaglia (PT-SP), Júlio Delgado (PSB-MG) e Chico Alencar (PSOL-RJ).

Os cargos da Mesa são distribuídos entre os partidos ou blocos parlamentares de forma que assegure, tanto quanto possível, a proporcionalidade da composição da Câmara. Porém, é garantido o direito de candidaturas avulsas de deputados aos cargos que couberem à sua representação, e de parlamentares de qualquer partido para a Presidência da Casa.

A votação é secreta e pelo sistema eletrônico, exigido maioria absoluta de votos dos presentes. Caso não atinja a quantidade necessária de votos, é realizado um segundo turno em sequência com os dois candidatos mais votados, exigindo-se dessa vez apenas a maioria simples.

A eleição será marcada pelo embate entre parte da base governista, que apoia o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) para a presidência, contra o próprio governo, que defende a candidatura de Arlindo Chinaglia (PT-SP).

As últimas presidências da Câmara e do Senado Federal têm sido marcadas pelo apoio incondicional ao governo tanto na escolha dos projetos a serem votados quanto na condução processual das votações, fato que gerou desconforto dos parlamentares durante deliberações polêmicas.

Apesar de pertencer a um partido da base governista, o deputado Eduardo Cunha já afirmou que não fará um mandato nem oposição nem “de submissão”. O candidato está articulando o apoio da oposição para o segundo turno da votação.

Cabe ressaltar que no mesmo dia, às 10h, será a posse dos deputados eleitos e, às 14h30, os líderes partidários se reunirão para escolher, entre os partidos, os cargos da Mesa Diretora.

 

 

Cláudia Almeida – Relações Institucionais da CNTC

É permitida a reprodução deste material, desde que citada a fonte.



Notícias