Presidenta Dilma vai receber líderes sindicais e Motta representará a CNTC

Imprimir    A-    A    A+

07/03/2013

foto (10)

Todos os presidentes das centrais sindicais – Força Sindical, CUT, CTB, Nova Central e UGT – utilizaram o potente carro de som, montado numa carreta de 18 rodas, para falar nesta quarta-feira (6/3) com os 50 mil trabalhadores de várias categorias concentrados na Praça dos Três Poderes, em Brasília, ponto de chegada da 7ª Marcha.

Coordenada pelas centrais, com apoio de toda a estrutura sindical, ou seja, confederações, federações e sindicatos de todo o País, a 7ª Marcha reafirma seu caráter unitário e leva às ruas, mais uma vez, a Agenda da Classe Trabalhadora, aprovada na Conclat de 2010. Também pretende ampliar a articulação política do sindicalismo.

“Essa 7ª Marcha é de quantidade e qualidade e superou as marchas anteriores em número de participantes e unidade em torno de uma pauta trabalhista conjunta. Tem de ser lembrada como histórica e, como as outras seis, deve trazer resultados a curto e médio prazos”, disse o presidente da Força Sindical, Paulo Pereira da Silva, o Paulinho, que lembrou das primeiras marchas, para pedir a valorização do salário mínimo, que correspondia a  US$ 54 e hoje é de US$ 300.

Encontro com Dilma

Paulinho também pregou a valorização dos benefícios dos aposentados, da mulher trabalhadora, e pediu para a presidente Dilma Rousseff vetar mudanças no seguro-desemprego. Disse, ainda, que a 7ª Marcha vai valorizar o diálogo com o governo federal e aproximar as centrais sindicais e os trabalhadores da presidenta Dilma, que vai receber, às 17h30 desta quarta-feira, uma comitiva de líderes trabalhistas no Palácio do Planalto.

O presidente da Federação dos Comerciários do Estado de São Paulo, Luiz Carlos Motta, que lidera mais de mil comerciários de 58 Sindicatos Filiados presentes na manifestação, vai representar a Confederação Nacional dos Trabalhadores no Comércio (CNTC), da qual é tesoureiro, no encontro com a presidenta Dilma.

Antes, os líderes sindicais cumpriram extensa agenda de reuniões: às 12h30, com o senador Renan Calheiros, presidente do Senado; às 14h, com o presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, no STF; às 15h, com o deputado Henrique Alves, presidente da Câmara dos Deputados.

Chávez

O presidente venezuelano Hugo Chávez, que morreu na tarde de terça-feira (5/3), vítima de câncer, foi homenageado pelas centrais sindicais durante a 7ª Marcha. Por solicitação de Vagner Gomes, presidente da CTB, os trabalhadores presentes à manifestação fizeram um minuto de aplausos ao estadista e aprovaram uma nota de apoio ao povo venezuelano. Uma comitiva das Centrais irá até a embaixada da Venezuela prestar homenagens.

Mulher

O Dia Internacional da Mulher (8 de março) também foi lembrado pelas centrais sindicais durante a 7ª Marcha. As companheiras presentes aproveitaram para divulgar suas reivindicações por igualdade de oportunidade, trabalho decente e pelo fim da violência contra as mulheres. Foi o início do Março Mulher, uma série de atividades que a Força Sindical e entidades filiadas farão em todo o País em defesa de interesses políticos, econômicos e sociais das trabalhadoras.

foto (15)

Pauta trabalhista

– 40 horas semanais sem redução de salário;
– Fim do fator previdenciário;
– Igualdade e oportunidade entre homens e mulheres;
– Política de valorização dos aposentados;
– 10% do PIB para a Educação;
– 10% do Orçamento da União para a Saúde;
– Correção da Tabela do Imposto de Renda;
– Ratificação da Convenção OIT/158;
– Regulamentação da Convenção da OIT/151;
– Ampliação do investimento público.

Fonte: Assessoria de Imprensa da Fecomerciários



Notícias