Comerciários gaúchos reivindicam 12% de reajuste

Imprimir    A-    A    A+

10/04/2013
Imagem 462 (2)

Campanha contou com participação de mais de 450 líderes

Lançamento da campanha salarial unificada 2013 dos comerciários gaúchos realizado nesta quarta-feira (10/04), em Porto Alegre, foi marcado pelo entusiasmo e contou com a participação de mais de 450 líderes sindicais, vindos de todas as regiões do Rio Grande do Sul.

O ato contou com uma plenária de concentração na Igreja da Pompéia, onde o assessor econômico da Fecosul, David Fialkow, e o economista do Dieese, Ricardo Franzói, apresentaram dados crescimento do comércio, que foi de 8,4% acima da inflação no varejo em 2012. Depois da plenária as lideranças sindicais saíram em caminhada pelas ruas da capital gaúcha e foram até a frente da Fecomércio (Federação Patronal), onde foi entregue a pauta de reivindicações dos trabalhadores no comércio e serviços.

A campanha deste ano que tem como tema Vender dá Trabalho e o Trabalho tem que ser Valorizado busca 12% de reajuste salarial, fim do banco de horas, licença-maternidade de 180 dias, descanso aos domingos e feriados, e 40 horas semanais, entre outros itens que compõem o rol de reivindicações.

Lideranças sindicais de todas as regionais aderiram à campanha

Lideranças sindicais de todas as regionais aderiram à campanha

Para o presidente da Fecosul, Guiomar Vidor, a atividade de lançamento da campanha foi positiva e empolgante principalmente pela grande participação das lideranças sindicais de todas as regionais que compõem a Federação. “Agora temos que manter a mobilização da categoria e organizar os lançamentos da campanha nas diversas regiões. A unidade e a participação dos sindicatos será fundamental para alcançarmos conquistas para os trabalhadores”, reforçou Vidor.

O presidente do Sindicomerciários Canela, Clério Sander, destacou a importância da conscientização dos sindicatos para participar da campanha unificada. “Nenhum sindicato anda sozinho, temos que seguir a nossa Federação que é forte e está preparada para fazer a negociação. Devemos negociar em bloco, unidos e com apoio da comissão de negociação da Fecosul”, completou Sander.

Na reunião de negociação, a vice-presidente regional Serra, Ivanir Perrone, observou os baixos salários dos trabalhadores em supermercados que estão pedindo demissão e migrando para outros setores. “Ninguém mais quer trabalhar em supermercado porque os salários são muito baixo, a jornada muito extensa, e sem nenhum benefício. Não é atraente trabalhar em supermercado”, destacou Ivanir.

Carlos Alberto Floriano, vice-presidente da Regional Centro e presidente do Sindicomerciários de Santiago, disse que a campanha salarial unificada beneficia todos os sindicatos na hora de pressionar os patrões nas negociações coletivas em suas regiões.

Almeri Finger de Castro, presidente do Sindicomerciários de Lagoa Vermelha, disse que a categoria e a Fecosul estão de parabéns. “Juntos teremos força para cada vez mais buscar melhorias para a nossa categoria. O setor do comércio obtém altos lucros, mas infelizmente os patrões se negam a dividir parte desses lucros com os trabalhadores”, destaca Almeri. Ela acrescenta que a campanha unificada, promovida pela Fecosul em parceria com os sindicatos de todo Estado fortalece a luta.

Fonte: Assessoria de Comunicação Fecosul



Notícias