ICV-DEESE fica em 6,04%, em 2013

Imprimir    A-    A    A+

13/01/2014

Em 2013, o ICV-DIEESE teve aumento de 6,04%, taxa 0,37 ponto percentual inferior à de 2012, que fechou o ano com variação de 6,41%. Quando se considera o poder aquisitivo(1), verifica-se que a variação acumulada no ano foi diretamente proporcional à renda, ou seja, menos elevada para as famílias de menor nível de rendimento, incluídas no estrato 1, com taxa de 4,82%, e foi aumentando conforme o poder aquisitivo: para o estrato 2 ficou em 5,45% e para o 3, em 6,62%.

Dos 10 grupos que compõem o ICV, dois apresentaram variações bem superiores à inflação: Saúde (12,58%) e Despesas Pessoais (10,34%). Despesas Diversas (7,05%), Educação e Leitura (6,84%) e Alimentação (6,58%) tiveram aumentos próximos ao do ICV. Taxas menores foram observadas nos grupos: Transporte (3,35%), Habitação (3,32%), Vestuário (1,24%), Recreação (0,95%) e Equipamento Doméstico (0,37%).

Aumento de combustíveis eleva inflação

O custo de vida no município de São Paulo aumentou, em dezembro, 0,44%, taxa 0,01 ponto percentual (pp.) menor que a de novembro (0,45%), segundo cálculo do DIEESE. Em decorrência da alta nos preços dos combustíveis (4,17%), as despesas com Transporte – com elevação de 1,55% – foram as que tiveram maior impacto (0,22 p.p.) na elevação do ICV-DIEESE. A Alimentação registrou o segundo maior impacto (0,16 p.p.) uma vez que subiu 0,52% .

Quando se considara o comportamento dos preços segundo os estratos de renda, verifica-se que, em dezembro, as taxas foram crescentes em relação ao poder aquisitivo das famílias: 1º estrato, alta de 0,34%, 2º estrato, aumento de 0,43% e 3º estrato, 0,46%. Em comparação com novembro, houve diminuição nos estratos 1 (-0,19 p.p.) e 2 (-0,05 p.p.) e aumento no estrato 3 (0,05 p.p.)

Fonte: Dieese